Descorado

Posted on sexta-feira, 18 de março de 2011 by Ewerton Fintelman | 0 comentários
Marcadores:

Não sou um grande religioso, mas confesso que o Livro do Apocalipse muito me atrai. Não creio, mas não deixo de crer. É inegável a lógica de alguns pontos. Em 2007 fiz uma pesquisa profunda sobre o tema para a elaboração de um enredo para uma escola de samba. Li, reli, analisei imagens, assisti a inúmeros documentários, e reafirmo: quem escreveu o Livro do Apocalipse foi um ser muito sábio. Se foi por unção divina, não sei, mas foi alguém com uma visão de futuro como uma obra de Verne.

A questão é: circula na internet um vídeo onde há uma suposta aparição de um homem montado num cavalo amarelo em meio a guerra no Egito. Coincidência? Talvez. O Cavalo Amarelo simboliza a morte. Diz o livro do apocalipse que nem um cavalo é, e sim trata-se de uma égua magriça, praticamente sem vida. Segundo o livro, a aparição dele caracteriza um período de dor, fome, guerras, doenças e muitas mortes. A ordem é: peste, fome, guerra. Já tivemos épocas de pestes, de fomes e temos de convir que nada supera os séculos XX e XXI em guerras.

Para deixar o pensamento em reflexão, deixo o trecho de uma música, da Ciranda Guerreiros Mura do meu amigo Hemanyel Pinheiro:

"Descorado
Seu nome foi lançado
Foi lhe dado autoridade
Revelando a identidade

É a morte, que é forte traz destruição
A terra foi afetada
Com a grande espada

Traz a cavalgada
Mortífera praga oh, oh
Que maltrata
Com o gás que mata

Ao mesmo tempo cura
Dilacera o coração
Enche de amargura
É a radiação

Cavalo e soldado amarelo
Cavalga espalhando o flagelo"

Reflita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário