Povo de Fibra

Posted on sexta-feira, 25 de março de 2011 by Ewerton Fintelman | 1 comentários
Marcadores: , ,

Durante toda a minha estadia no Estado do Amazonas no ano passado, algo que muito me impressionava era a sua gente. Gente humilde que encontrou sua paz, gente que quer ser feliz simplesmente. Amazonense que bate no peito e diz "eu sou filho dessa terra" com muito orgulho. Acima de tudo, um povo que baseia sua vida na simplicidade "rica em paz interior".

Enquanto isso em pleno sudeste, referência nacional em globalização, um ser diz que "não sabe nem se existe civilização no Amazonas" e que "queria fazer um show no meio do mato". O pior: o show "no meio do mato" é marcado, acreditem se quiser, para o dia 1 de abril de 2011.

Dias depois uma reação em cadeia nas redes sociais, protestos, notas de repúdios e como resultado prova de que o Amazonas não só existia como se mostrara vivo e fiel a sua terra. Por fim o show foi cancelado. O motivo? Medo. Medo do que poderia acontecer com esse ser repugnante que tachou o Amazonas como "mato". E ainda tem gente dizendo que foi por medo de selvagens que ameaçaram o ditocujo. Ora, falas mal de minha terra e esperas mesmo que eu vá ser simpático e amigável com tu? Não. Selvagem é falar muito sobre o que não se sabe.

Hoje eu reafirmo meu orgulho em ter muitos amigos amazonenses. Porque amam o lugar que nasceram, sua cultura, seus costumes e acima de tudo: aprenderam o significado da palavra respeito, coisa que o sulista mal informado não sabe o que é. O Amazonas venceu, mostrou que seu povo é forte e que pra pisar nesse solo sagrado é necessário entender o que é a Amazônia e sua gente.

Descorado

Posted on sexta-feira, 18 de março de 2011 by Ewerton Fintelman | 0 comentários
Marcadores:

Não sou um grande religioso, mas confesso que o Livro do Apocalipse muito me atrai. Não creio, mas não deixo de crer. É inegável a lógica de alguns pontos. Em 2007 fiz uma pesquisa profunda sobre o tema para a elaboração de um enredo para uma escola de samba. Li, reli, analisei imagens, assisti a inúmeros documentários, e reafirmo: quem escreveu o Livro do Apocalipse foi um ser muito sábio. Se foi por unção divina, não sei, mas foi alguém com uma visão de futuro como uma obra de Verne.

A questão é: circula na internet um vídeo onde há uma suposta aparição de um homem montado num cavalo amarelo em meio a guerra no Egito. Coincidência? Talvez. O Cavalo Amarelo simboliza a morte. Diz o livro do apocalipse que nem um cavalo é, e sim trata-se de uma égua magriça, praticamente sem vida. Segundo o livro, a aparição dele caracteriza um período de dor, fome, guerras, doenças e muitas mortes. A ordem é: peste, fome, guerra. Já tivemos épocas de pestes, de fomes e temos de convir que nada supera os séculos XX e XXI em guerras.

Para deixar o pensamento em reflexão, deixo o trecho de uma música, da Ciranda Guerreiros Mura do meu amigo Hemanyel Pinheiro:

"Descorado
Seu nome foi lançado
Foi lhe dado autoridade
Revelando a identidade

É a morte, que é forte traz destruição
A terra foi afetada
Com a grande espada

Traz a cavalgada
Mortífera praga oh, oh
Que maltrata
Com o gás que mata

Ao mesmo tempo cura
Dilacera o coração
Enche de amargura
É a radiação

Cavalo e soldado amarelo
Cavalga espalhando o flagelo"

Reflita.