A vida feroz

Posted on sexta-feira, 17 de setembro de 2010 by Ewerton Fintelman | 1 comentários
Marcadores:

Quase um mês sem postar, mas na verdade não esqueci do blog, apenas me sentia vazio demais para postar. Na verdade, tudo estava tão intenso que me perdi num mar de acontecimentos. O fim: naufrágio, pra variar. Sempre é assim, não só comigo, como você, como todo mundo. É tão complicado quando um oráculo cabalístico.

Mês de setembro em seu auge: provas na faculdade, produções musicais a mil e eu sem tempo pra me dar o luxo de refletir e escrever sobre a vida. Isso é péssimo e descontrola totalmente a minha vida. O que me levou a escrever hoje foi uma reclamação. Disseram-me: "Você está muito rancoroso e vingativo." O peso dessa acusação me fez parar e refletir o quanto isso era verdade e o quanto eu acho isso bom e ruim. Mas apesar de tudo considero normal, afinal decepção se segue de rancor e ódio. Não sou uma máquina programável, tampouco um ativista visando o nirvana. Aprendi a gostar mais de mim. Isso basta. O exterior é o exterior. Excluir algumas pessoas do meio social faz um bem tremendo. Não é cruel, é a lei da sobreviência. À medida que você exclui, é excluído. O que há de anormal?

Um comentário:

Thompson Stellet disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário