O peso

Posted on quinta-feira, 17 de junho de 2010 by Ewerton Fintelman | 0 comentários
Marcadores:

Era daquelas que nada comia com receio de engordar, do tipo que faz greve de fome por ter engordado dez gramas. Um dia se apaixonou. Sentia seu corpo tremer ao ver aquele homem perfeito à sua visão. Era o ideal para se ter ao lado e impressionar as amigas. Pensava ter encontrado o homem ideal para exibir. Quando quis ficar, ele respondeu: "Você é bonita, mas não namoro gordas".

Após chorar por uma semana, ela dobrou sua rotina na academia e intensificou sua dieta. Meses depois, tornou a se declarar e ele novamente respondeu: "Não namoro gordas".

Ela novamente se aluiu em lágrimas, mas não desistiu. Agora malhava todos os dias da semana, manhã e tarde e comia pouquíssimo. Mas ele conseguia se manter irredutível: "Não namoro gordas".

Meses depois, ela caíra doente, anoréxica. Sentia sua alma querendo desprender do corpo. Pedira apenas para falar com ele. Disse-o: "Por quê?". Ele retrucou: "Agora vejo-te no auge de tua obesidade. Teu corpo é anoréxico, mas tua mente é obesa de pensamentos repleto de avidez. Pensas que teu corpo é teu objeto de exposição? Podes iniciar, mas não podes manter. Se sobreviveres, podes emagrecer".

Ela agora compreendera. No ápice da sua diligência, com lágrimas nos olhos, disparou lentamente: "Infelizmente eu me amei. Amar-me somente trouxe a obesidade da minha empáfia. Mas neste momento, livro-me da minha obesidade, mas meus sonhos são tão grandes que vão embora com ela. O futuro do pretérito será minha única perspectiva, mas de qualquer forma, muito obrigada..."

E foi fechando os olhos sentindo sua alma longe. Longe do corpo, mas finalmente longe da obesidade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário