Calabouço

Posted on domingo, 6 de junho de 2010 by Ewerton Fintelman | 1 comentários

Mais uma composição subliminar típica de Closet. Pena que essa vai ficar só no registro.

Como lágrima que ainda escorre
Como vida que duas vezes morre
Como fim que não se acaba
Nossos caminhos por fim se entrelaçam
O antigo e o novo por ora se abraçam

Eu queria nunca ter tocado suas mãos
Eu queria nunca ter ouvido sua voz
Eu queria ter pensado mais em mim
Acertei errando e pensando em nós

Maliguna tomou conta
Para ti estendi as mãos
Senti me cair os braços
Mais perto fiquei do chão

Por todo o tempo só vivi
No vestíbulo do seu castelo
Quando enfim de lá saí
Não me senti mais liberto
Num calabouço me vi
Mesmo contigo por perto

Um comentário:

karla disse...

Posso falar .... que simplesmente ADOREI

Postar um comentário